recortes de memórias

On September 8, 2006 by miki

Ôba! Mais uma estrela-blog para minha constelação de blogs (um dia faço um post só sobre esse assunto)! Este é para falar sobre cultura japonesa.

É engraçado… Apesar da minha ascendência japonesa, nunca tive muito interesse em conhecer sobre o Japão, sua cultura, seu povo, a língua… a mim, parecia um mundo à parte, algo do qual eu procurava, inclusive, me distanciar. Tudo isso estava ligado ao fato de eu ter sido discriminada por ser diferente, por ser a única criança japonesa no meio das outras, simplemente brasileiras, e, na aparência, “iguais entre si”. Esse fato fez com que eu quisesse negar minhas origens, fez com que eu pensasse, na minha inocência de criança “por que só eu tenho que ter esses olhos puxados, por que eu não posso ser igual a todo mundo?” E acho que foi o meu jeito de enfrentar a situação.

O tempo passou e passou e passou. Muita água rolou debaixo da ponte. Hoje me sinto absolutamente confortável e tenho orgulho de ser exatamente o que sou. E, com isso, cada vez mais tenho tido vontade de conhecer as minhas raízes, saber sobre esse país milenar, seus costumes, entender esse complexo mundo de contrastes tão gritantes, mas, por isso mesmo, a meus olhos, riquíssimo e, em um certo ângulo, maravilhoso. Tenho muita vontade de conhecer o Japão atualmente.

E o blog “Tudo sobre a terra das cerejeiras” tem a intenção de dividir minhas descobertas com vocês! E, pra começar, um assunto que me fascina (outro dia eu conto como fui iniciada nele!): mangás!

Beijos, Miki


A imagem que ilustra esse post tem a intenção de disseminar o trabalho de Junko Mizuno.
Todos os direitos são reservados aos seus respectivos proprietários.


nota: o blog “tudo sobre a terra das cerejeiras” foi descontinuado e seu conteúdo incorporado aqui.


6 Responses to “recortes de memórias”

  • Engraçado, comigo foi exatamente o contrário! Eu sempre tive muita consciência de minhas origens e dos pontos nos quais a minha família tinha visões diferentes das outras. Talvez isso se deva ao fato de meu pai ser japonês, ter vindo para cá com 22 anos e falar um português engraçado. Sempre lamentei não ter começado a estudar a língua mais cedo!

  • :) que bom, karen! pra mim, foi uma experiência bastante sofrida… não tinha “colônia” também onde eu morava.hoje, eu sinto falta de não entender japonês, mas é algo que, um dia, quero voltar a estudar!
    puxa, vc é realmente poliglota, né (português, japonês, inglês, francês e alemão? uau!)

    bjs, miki

  • Onde eu morava também não, sempre foi mais uma coisa de família, ainda hoje não frequento a “colônia”. Sou má poliglota, isso sim! rs

  • até q tenho uns amigos “colônia” agora, é bem legal! minha melhor amiga é japinha.
    hahaha, duvido, aposto q vc se vira bem em todas as línguas :-p! eu adoro línguas, queria voltar no francês e no japonês, falar o inglês bem de uma vez por todas e ainda tenho vontade de me aventurar no italiano – rs. acho q uma encarnação não vai ser suficiente para tudo o q eu tenho vontade de fazer hahaha

  • Acho que o importante é preencher muito bem esta vida aqui! rs

  • vc tem toda razao, karen! espero q vc tenha feito uma otima viagem e q td tenha corrido bem com sua apresentacao!
    bem-vinda de volta, bjs, miki

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *