o elefante nº 6

On June 21, 2013 by miki

no 5º e último ato, que empresta seu nome à peça, um vendedor de móveis (rafael primot) reconstrói, através de uma ótica muito particular, a história do desaparecimento do tal elefante. sua interlocutora é uma jornalista (fernanda de freitas): “preferia não ter que escrever para revista de decoração.”

o ato começa com barulhos e luzes de helicópteros e um casal de apresentadores de telejornal (andré frateschi e clarissa kiste) comentando sobre o misteriosíssimo desaparecimento. à sua frente, um aquário onde diversas criaturas nadam para lá e para cá numa sobreposição que já prenuncia o mundo fantástico que está por vir. é um aquário na frente da tv? é a lembrança do aquário do zoológico onde o elefante uma vez viveu? nunca saberemos e nem é preciso, afinal “o elefante costumava comer o resto da merenda das crianças” e “o elefante e o guardador foram vistos pela última vez por alunos da escola primária que visitavam o elefante enquanto faziam desenhos de lápis de cera”.

em determinado momento, a personagem de rafael discorre sobre vaga-lumes e no passeio dos movimentos do seu corpo – suas mãos, seu meio-sorriso e o tom da sua voz – quase enxergamos a nuvem de pequenos insetos descrevendo sua sinfonia de luzes na escuridão da noite. talvez estejamos também influenciados pelo cenário futurista e minimalista projetado em verde-perspectiva sobre a tela. isso sem falar nas taças de champanhe que se acendem em amarelo neon.

um homem, uma mulher, vaga-lumes e elefantes. murakami e seu zoológico particular.

a maioria dos tipos de murakami tem um quê de esquisitice e o vendedor certamente é um deles. é difícil acreditar em sua história fantástica, mas para ele, isso não importa. tanto não importa que, ao encontrar alguém interessado naquilo que parece ser um divisor de águas em sua vida, ele não titubeia em revelar toda a sua história e seus pensamentos mais íntimos sobre ela. ainda que isso possa acabar irremediavelmente com qualquer possibilidade de um relacionamento amoroso entre eles (já que ele se sente atraído por ela).

o que ele viveu como voyeur de elefante e cuidador de elefante foi tão sublime e especial, tocou-o tão profundamente que modificou para sempre algo extremamente fundamental dentro dele. depois de uma experiência como essa, pouca coisa mais importa em sua vida.

pungente e triste, belo e melancólico, solitário e esquisito.

com raul, o elefante diz adeus: “eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.”

e nós, aqui, torcemos para que ele volte o mais breve possível!

Ainda apoiado ao corrimão, eu observava o vaga-lume. Tanto ele quanto eu permanecemos assim imóveis por muito tempo. Apenas o vento soprava ao nosso redor. Dentro da escuridão, as inúmeras folhas dos olmos farfalhavam.

Esperei uma eternidade.

Demorou muito tempo até o vaga-lume levantar voo. Como se finalmente houvesse entendido alguma coisa, ele abriu as asas e, no instante seguinte, estava flutuando na penumbra para além do corrimão. Descreveu um arco rápido próximo à torre da caixa-d’água, como se desejasse recuperar o tempo perdido. Parou depois, como se esperasse para ver a linha curva de luz que criara ser dispersa pelo vento, e finalmente voou rumo ao leste.

Muito depois de o vaga-lume desaparecer, seus traços luminosos continuaram dentro de mim. Atrás de minhas pálpebras cerradas, dentro das espessas trevas, seu brilho suave continuava a vagar como uma alma perdida.

Estendi várias vezes os braços em direção a essas trevas. Meus dedos nada tocaram. A pequena luz estava sempre um pouco além do meu alcance.

Haruki Murakami in “Norwegian Wood” | tradução do japonês por Jefferson José Teixeira

elefante-ato5


ilustração da autora

o desaparecimento do elefante
da série “o desaparecimento do elefante”
em homenagem à peça de teatro “o desaparecimento do elefante” de monique gardenberg e michele matalon sobre obra de haruki murakami

grafite, aquarela e caneta tinteiro s/ canson branco 224 g/m2
21 x 29,7 cm
19.jun.2013


2 Responses to “o elefante nº 6”

  • e nós, aqui, torcemos para que ele volte o mais breve possível! Isso. Miki obrigado por reviver com você… revia a peça ao ler.

  • ‘nós’ com certeza incluía vc, meu querido amigo!
    unidos para sempre pelo fã-clube né? rsss
    que alegria saber q vc reviveu comigo :)
    beijocas mil, m.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *