Archives for the month of: April, 1991


 
“E então, Éolo enlaçou a ninfa nos braços e voou para longe com ela… Cruzaram os ares, descobrindo novos horizontes azuis… O vento batia nos cabelos levemente cacheados e intensamente negros da bela deusa…”
Read the rest of this entry »

[…]

E é isso, eu não sei por que, eu não sei como, mas o Mar é muito importante na minha vida… É algo que me deslumbra, completa e fascina. É algo mágico que me envolve e absorve todas as minhas atenções, de modo que eu seria capaz de passar longos e longos, infinitos tempos a fitá-lo, estaticamente muda sem que sequer me cansasse. Não sei como, não sei por que…

[…]

24.iv.1991

O tempo voara… Quando dera por conta, os ventos fustigantes do inverno já varriam as ruas da cidade, carregando consigo folhas secas da estação passada.

O dia se fez cinza e uma tristeza enorme envadiu o ser. Talvez fosse uma crise existencial, talvez fosse uma crise de identidade… […]
Read the rest of this entry »

[…]

Mas, um coração, quando se apaixona, não acredita ou finge não acreditar, nunca, em palavras ou atos que não lhe agradem. O coração apaixonado tem sempre uma vã esperança de alcançar seus objetivos mais sinceros.

[…]

16.iv.1991