as tais aulas do professor david

On June 14, 2008 by miki

há algum tempo, procurando melhorar minhas habilidades desenhísticas, comecei a fazer um “curso” de desenho.

as aspas são porque o nome curso está muito longe de poder contar o que é essa ótima experiência que tenho vivido desde então.

para minha sorte, bem na época em que comecei a aventar a possibilidade de procurar um curso de desesnho, o estava montando uma turma que teria aulas em sua casa sob o comando do professor david schumaker. e eu, de gaiata, fui gentilmente convidada a integrar o grupo. foi uma oportunidade única e maravilhosa e agradeço imensamente ao fá, ao ennio e ao professor david que me acolheram tão calorosamente!

bom, o curso não tem nada daquele negócio de “vamos aprender como é que se desenha um nariz”. é, antes, uma descoberta de caminhos, de possibilidades, de desenvolvimento pessoal do que você gostaria/poderia fazer do que qualquer outra coisa.

o professor david é inteligente, sensível, dedicado e muito culto. se só isso não estiver bom, ele também é humilde! difícil de acreditar que ele seja “de verdade”, não é mesmo (rs, miki, a puxa-saco!). desculpe, é que eu sou a maior fã do professor. hahahahahaha.

fora isso, nossa turminha era o máximo, o fá e o ennio são amigos queridíssimos de quem sinto uma falta imensa não só nas nossas aulas mas no convívio em geral. explico: é que, por motivos diversos, primeiro o ennio e depois o fá tiveram que parar de fazer aulas =(.

mas eu ainda tenho fé de que, um dia no futuro, estaremos todos juntos desenhando novamente sob a tutela do professor david hehe =)!

bom, toda essa longa introdução é para falar que eu resolvi começar a postar os trabalhos que venho desenvolvendo com o david. bom, se você for olhar o primeiro post deste blog [no caso, era o ‘tudo sobre os deseinhos da miki’ que foi incorporado aqui], vai ver que a intenção desse blog sempre foi essa. mas… como eu sou terrível, o blog hibernou por muito tempo. hahahahaha. bom, espero que eu consiga ter tempo e energia para postar com regularidade a partir de agora.

recentemente, o professor me aconselhou a tentar desenhar todos os dias (nem que fosse 15 minutos por dia), pois ele acha que “coisas podem acontecer” (rs). eu também acho. e estou tentando ajeitar a minha semana para poder me dedicar a essa tarefa.

na verdade, acredito que a dedicação constante, com um intervalo não muito longo, de fato faz com que a gente tenha mais fluidez em qualquer que seja o trabalho que desenvolvamos. e, claro, a prática também faz com que você vá evoluindo! por isso, além de aplicar essa tática para o desenho, também já estava tentando fazê-lo com a produção de bonecas do mundomiki, a produção de histórias e respectivas ilustras e também com o aperfeiçoamento do meu inglês.

para começar, posto uma série que chamei de “operação litoral, 1st season”. depois de uma pausa de cerca de um mês, retomamos nossos encontros semanais e o professor david trouxe a temática de eu desenhar minhas memórias da praia.

sempre que sou confrontada com um desafio (e ele pode ser bem pequenino, mas o frêmito é o mesmo ;-), minha primeira reação é “ai, que difícil, será que vou conseguir?”. é terrível, mas é assim. daí fico pensando, com um pouco de medo… às vezes rabisco um esboço e só depois tomo coragem de fazer “de verdade”.

aqui, obviamente, não foi diferente. primeiro de tudo, fiquei lembrando tudo o que passei e o que poderia ser interessante para pintar. eu queria (como sempre) algo que fosse interessante como imagem, que eu conseguisse desenhar (e ficar minimamente satisfeita com o resultado) e que fosse relevante como lembrança do que passei na praia.

a primeira chapa foi fácil: eu tenho uma predileção especial por balloonfishes e, um dia, brincando com os monstros na praia, a kiki descobriu um pobre balloonfish-bebê que ficou preso na areia… coitadinho! fiquei ali, observando, tirei fotos e fiquei um tanto maravilhada porque ele era bem diferente do que eu imaginava ser um balloonfish!

ah! um aparte, antes de passar pra segunda chapa: uma vez, o professor me disse que achava que eu ia gostar muito de trabalhar com papéis coloridos. então, desenterrei um bloco vééééio coitado que estava esquecido no fundo da gaveta chamado “creative paper”. é uma espécie de papel jornal de gramatura alta, só que colorido! e não é que o danado estava certo? eu amei! é que eu adoro cores (nem dá pra perceber né :p!).

para a segunda chapa, lembrei-me das gaivotas sobrevoando a orla, à procura de alimento. e de repente, elas mergulhando e saindo com um peixe no bico. lembro-me vividamente de como seu planar é elegante e a penugem branca com toques grafite e um bico muito laranja. não gostei exatamente do resultado do desenho… a cabeça ficou muito redonda e as cabeças das gaivotas não são assim! mas, se por um lado, ela é uma tentativa de gaivota, gostei da massa branca com fios laranjas sobre o fundo laranja do papel colorido. e principalmente do olho. quis um marrom cheio de massa, quase algo que se percebesse palpável e o contorno preto deu o acabamento que finalmente me convenceu :). e como gosta de dizer o david: “como deixou as coisas no lugar!”

para a terceira chapa, lembrei-me de uns peixes (grandes) que eu via, às vezes, mortos na areia da praia… ficava pensando por que é que eles tinham morrido… eles me pareciam grandes demais para simplesmente ter encalhado na areia. será que o mar estava poluído? como os desenhos eram de memória, eu tive que apelar para o que a minha memória achava que era desenhar um peixe (rs). não gosto exatamente da forma, do olho. acho que eu fico esperando que seja um desenho muito fidedigno da realidade, sabe? mas, de um certo modo, gosto do resultado final. o movimento das escamas. o cinza que fica colorido por conta do fundo vibrante e vermelho. a priori, eu tinha pensado em escamas só no corpo. mas, depois que terminei de preencher, achei que a cara ficou vazia. então, resolvi preencher também, mas ela tem um ritmo diferente que eu gostei porque parece que são gotas de mercúrio correndo no peixe!

a última chapa foi a mais difícil de desenhar. embora a imagem estivesse bem vívida na minha mente, achei difícil traduzi-la em desenho. adoro essa imagem de pescador de roupa e tudo no meio da água com a vara de pescar, sabe? acho que é porque, há muito-muito-muito tempo atrás (acho que umas 5 encarnações pra trás), num repente, eu desenhei um pescador inspirada numa foto do filme “a river runs through it” (será que o título em português é “nada é para sempre?“). o filme é lindo, com o brad pitt como o pescador em questão. desde então, aquele desenho que eu fiz permaneceu na minha memória. obviamente, eu não me lembrava do desenho em si com detalhes, só lembrava que tinha gostado muito do resultado final e ficado surpresa de que fosse eu mesma que tivesse feito ele! usei grafite, o pescador estava de perfil, dava para ver a carretilha da vara no desenho e ele carregava um samburá transpassado no peito. ah, também usava um chapéu, uma camisa de manga comprida com as mangas dobradas assim como as calças.

[* como você pode ver, achei o desenho, desenterrei seria a expressão melhor, e ele não era exatamente como eu o descrevi de memória :D * nota: o desenho é de 94!!]

com essa imagem como parâmetro, tentei produzir minha quarta prancha. o resultado como corpo humano definido deixa a desejar (rs), mas gostei do resultado final! embora tenha ficado parecendo um menino pescando, a idéia era representar um homem. é que, de manhã, vários velhinhos ficam no quebra-mar pescando, seus samburás presos numa espécie de galho de pvc plantado na areia da praia… gosto especialmente da paleta de cores que eu escolhi, gosto da espuminha branca só um fio, gosto do listrado com sua sutileza de duas cores. e, não posso deixar de pensar que toda vez que olho pra esse desenho, fico lembrando do livro “kafka à beira-mar” que é o livro que eu estava lendo na ocasião, do bruxo murakami! fico achando tanto que este desenho acabou ficando a minha representação para a pintura que ele descreve no livro! e não foi proposital, não conscientemente pelo menos ;-)! mas acho que o livro me abduziu de uma tal maneira que acabou aparecendo nessa prancha de desenho!

bom, por ora é isso! afe, falei até, heim???


Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *