a volta aos poucos

On January 31, 2013 by miki

[foto por ethnocentrics]

já faz mais de 4 anos… escrevi o penúltimo “planeta mundomiki” em novembro de 2008 dizendo que “o mundomiki foi dar um volta” e prometendo voltar em breve. no entanto, o “em breve” demorou um pouco (para não dizer muito).

2009 foi um ano bem difícil para mim. murchei, entristeci, desacreditei, adoeci, deprimi… e ao final dele, uma cirurgia de retirada de um mioma (“do tamanho de um mamão papaia” segundo meu ginecologista phopho, o dr. paulo). não consegui levar o mundomiki adiante, tinha ideias, mas não conseguia ter ânimo para executá-las, trabalhar em casa também não era tarefa fácil, acumular funções de “rainha do-lar” tampouco. com o “sonho perdido” finalizado, baita empreitada a que me dediquei por 8 meses em 2008, a ideia era botar o livro-portifólio debaixo do braço, passar óleo de peroba na cara (para lustrar a cara-de-pau que eu não tenho) e tentar entrar no mercado editorial. recebi algumas negativas e não sendo capaz de lidar com isso, entrei na minha concha, comecei a duvidar de mim mesma, do meu talento pra escrever e esse foi o começo do abismo que eu mesma cavei pra mim em 2009. hoje, depois de muita terapia e auto-análise, entendo que fui eu quem cavei, mas, infelizmente, à época, eu não sabia como lidar com aquilo tudo (não que eu me sinta extremamente preparada hoje, mas tenho me esforçado para melhorar).

vender meu trabalho sempre foi algo extremamente difícil para mim e isso eu já sabia. mas ao longo desses 7 anos e meio de studio, a coisa toda foi ficando bem mais clara na minha cabeça. mas foi preciso uma cirurgia, uma anestesia geral, 5 horas na mesa de operações, um mês dependendo completamente de outra pessoa para que algo dentro de mim se mexesse e eu conseguir seguir em frente.

antes, eu pensava em 2009 como “o ano que eu gostaria de não ter vivido”. hoje, porém, penso nele como “um ano que me proporcionou o início de uma reflexão profunda sobre a minha vida e o meu eu verdadeiro”, muito embora seja um caminho doloroso. mas, como aprendi num livro sobre budismo tibetano que me encantou: “é demais pedir carne sem osso e chá sem folhas”.

veio 2010 que não foi tão nebuloso, eu voltei a trabalhar em um projeto e isso já era algum alento, alguma possibilidade de me reencontrar nas minhas andanças. tive muita sorte em cruzar com a querida kathia castilho no meu caminho. conheci-a no curso de pós em moda que fiz no senac entre 2003 e 2005. ela viu o “sonho perdido” e depois de uma empolgante reunião comigo falando pelos cotovelos sobre todas as minhas ideias (risos), ela ficou animadíssima e me encomendou o “primeiro livrinho para o selo infantil” da sua editora, a estação das letras e cores. assim, 2010 foi o ano em que, finalmente, o sonho que eu tinha acalentado por alguns anos se tornava realidade: um verdadeiro livro de “papel-e-tinta”, como eu gosto de chamar. nascia o “vestida para espantar gente na rua”, livro auto-biográfico assim bem umbigocêntrico sobre a minha própria pessoa e a maneira que eu encontrei de lidar com a questão de ser diferente.

2011 foi um ano que correu um pouco na esteira do livro, mas, junto com ele, me corroía a incapacidade de escrever um segundo. passei muitos meses numa tortura psicológica e num “efeito omo” (i.e. “branco total radiante”) me paralisando sem que eu fosse capaz de encontrar uma ideia sequer de um próximo livro que me parecesse interessante. paralelamente à tentativa de escrever um segundo livro, eu coloquei como meta pessoal melhorar minhas capacidades e habilidades em relação ao meu desenho: pela primeira vez, me propus a desenhar todos os dias e esse foi meu grande feito neste ano. terminei 2011 com uma produção enorme, sem falar nos ganhos de aprimoramento que só um trabalho constante é capaz de te dar, porém, nada de livros novos.

2012… 2012 foi um ano pessoal muito difícil, mas também ou talvez por isso mesmo, um ano de mudanças importantes e, devo acrescentar, não isentas do bocado sangue-suor-e-lágrimas “que me coube neste latifúndio”. depois de muita luta interna e externa, de muita hesitação, de muitas dúvidas, cheguei à conclusão de que era imprescindível eu ter um espaço de trabalho meu. passei praticamente 7 anos trabalhando em casa e, embora desde sempre tenha sabido que não era o ideal, minha parte muito taurina que me fala da segurança me dizia que não era a hora de assumir um custo fixo já que eu não tinha uma perspectiva de ter um ganho que pudesse contrabalançar aquela conta. mas eu havia chegado no meu limite e brigando com tudo e todos, me ralando nos muros da vida, eu entendi que ou eu arriscava, enfrentava e tinha uma chance de prosseguir ou eu caía doente e desistia do meu sonho. disse a mim mesma: “ainda não é a hora de desistir do seu sonho”. fiz tudo sozinha, não pude contar com a ajuda de quase ninguém, mas não me arrependo nem um pingo de nada. foi um passo importante de vida, de crescimento interior e de carreira que eu precisava dar.

[foto por ethnocentrics]

também foi em 2012 que eu me apaziguei comigo mesma quando entendi que, no fundo, eu era uma artista. talvez fosse óbvio-ululante para quem me via de fora, mas eu não conseguia me ver nesse papel. a expressão exata é que “eu não me permitia”. em algum lugar obscuro dentro de mim, eu achava que para ser artista, eram necessário os quesitos tais e tais. quesitos esses que eu não tinha e, portanto, quem era eu para me achar artista? e foi preciso 7 longos anos e meio para eu entender tudo isso. quando me dei conta, me senti, de certa forma, leve e liberta. o irônico é que eu estava liberta de grilhões que eu mesma tinha infligido a mim… entendi que todo o meu percurso que eu achava tortuoso e díspar, até mesmo mixórdico e quizúmbico nos momentos em que eu estava mais desesperada, foi necessário para que eu pudesse enxergar a minha verdadeira natureza, o fato de que, o tempo todo, eu fui, sou e serei artista. no momento em que percebi isso, tudo passou a fazer sentido, cada passo que eu dei – por mais disparatado que possa parecer numa olhadela rápida. foi nesse momento que eu me libertei da obrigação de escrever aquele segundo livro que me torturou por um ano inteiro e que me propus a produzir uma séria de pinturas em tela para entrar no mercado de arte.


 
e é nesse ponto que eu me encontro. sei que não será fácil. minhas dificuldades mais fundamentais, aquelas que sempre estão comigo, que me são difíceis trabalhar sempre me rondam, me espreitam como felinos famintos à noite. sei que vai chegar a hora em que terei que novamente sair à rua para vender o meu trabalho. sei que é um mercado novo e que ninguém me conhece. sei que corro o risco de levar vários nãos, de receber críticas nada elogiosas sobre o meu trabalho. sei de tudo isso e, claro, tenho muito medo. medo de falhar novamente, medo de não ser forte o bastante e sucumbir e desistir, medo da falta de apoio daqueles que são mais importantes para mim. mas hoje estou um tico mais forte e um tico mais amadurecida. e preciso prosseguir, porque afinal “ainda não é hora de desistir do meu sonho”!

estou preparando muitas surpresas. uma delas é a volta da newsletter “planeta mundomiki”. ainda não sei bem com qual periodicidade. a princípio, a cada 15 dias, porque semanal, neste mundo doydo e corrido, acho que ninguém tem paciência ou tempo para ler. e finalmente o loooongo trabalho de redesign dos meus blogs, após 2 anos de vai-não-vai, dá mostras de fênix. nem gosto de falar muito, porque já prometi tanto e sempre furei os prazos… mas agora estou mais confiante de que este dia está bem próximo!

e o melhor eu guardei pro final! uma ideia muito acalentada e há tempos na gaveta sai do papel: minha loja virtual no etsy: etsy.com/shop/mundomiki

hope you all enjoy!
todo o meu amor, m.

15.jan.2013 e 16.jan.2013 ~ 9:52 | rv 28.jan.2013


20 Responses to “a volta aos poucos”

  • Miki,
    lindo post. A atitude de expor dessa forma foi linda!
    Meus parabéns pela nova fase!! Quero ter uma tela sua no meu lar! Onde estão expostas?
    Gde bj,
    Douglas

  • Miki, gostei de ler seu post, e fico feliz que voce esta bem!
    Tudo q passamos na vida nos faz crescer, nem tudo sao flores, mas vem no momento q precisa vir para nos fazer mais fortes.
    Beijos e todo sucesso do mundo para voce, pois voce merece, e vc eh sim uma grande artista!!!
    Ana

  • Oi Miki, que bom que você voltou! Sei bem como é passar por 7 anos trabalhando em casa – freelando – sozinha e lidando com mil coisas internas, porque o isolamento traz a tona o lado mais profundo da gente.

    Fico super feliz que agora tudo está bem e caminhando para um lindo jardim colorido, cheio de vida e arte!
    É preciso assumir o artista que vive dentro da gente e liberta-lo sem pressa, sem medo para uma vida plena.

    Muito sorte e sucesso nessa nova fase que se inicia! A vida é cheia de surpresas maravilhosas.

    beijos com saudade.
    Glá <3

  • Miki,
    só você, que já vestiu bonecas com tanta maestria, para se despir desta maneira. Nossos percursos tão cheios de linhas tortas mas que vivem se cruzando são bem mais parecidos do que eu jamais imaginei. E´com um super orgulho de ser sua amiga que eu vejo que atravessamos este parto de autoconhecimento e chegamos vivas e mais criativas do que nunca em 2013.
    Muito sucesso e alegria!
    Ana Steps

  • Ah, Miki! Que bom ler este post! De certa forma, você nunca ficou parada e sempre foi dando passos para chegar onde desejava e ter o seu próprio espaço, não é mesmo?

    Desejo muito sucesso, muitas alegrias e aprendizado nessa nova etapa do seu trabalho!

    Beijos!

  • Miki
    Que bom ter você por perto novamente, nos dando a graça da sua arte!
    Parabéns por sua coragem.
    Abraço gigante!

  • Amei. Aprendi e cresci com essa desabafo. Obrigada, Miki. Bjs.

  • miki voce é uma artista muito sensivel.
    mãos a obra que eu já vi o trabalho que você está fazendo e a expo vai ser um sucesso. Mauricio e Laurinha.

  • oi, doug!

    que delícia ter vc aqui :)
    seja benvindo!

    fiz um openhouse/mini-expo no meu studio no final do ano passado (espero q vc tenha recebido o convite!). no momento, há duas opções para vc ver meus trabalhos:

    1. na minha lodjín no etsy: http://www.etsy.com/shop/mundomiki (mas aqui só há uma pequena parte do meu trabalho)
    2. ou vc pode ir me visitar um dia no studio e ver uma amostra maior :)

    bjs em vc e desejos de uma semana florida e perfumada! m.

  • querida ana,

    que bom ‘ouvir’ vc! obrigada pelas palavras carinhosas e repletas de apoio. foi uma caminhada árdua, mas, ao olhar para trás, apesar de todos os tombos e dores, fico orgulhosa de ver que me esforcei para limar o meu ego e sobrevivi, mais forte e com o espírito um tiquitito mais iluminado. isso me dá forças para continuar em frente, pois me dá a certeza de que estou no caminho certo.

    espero que esteja td indo bem por aí com vc e com a sua família lynda!

    bjs e um 2013 de alegrias e esperanças pra vc, ana!
    m.

  • oi, glá!

    obrigada pelas palavras de apoio e compreeensão tão lyndas. tem sido um caminho árduo, com certeza, mas vejo que igualmente ele fez de mim alguém mais forte, mais consciente, menos egoísta. então, valeu a pena!

    e tenho orgulho de mim mesma porque empreendi um grande esforço para poder olhar para dentro e tentar entender e trabalhar uma confusão de sentimentos e emoções tão humanos… não que eu esteja craque, mas vendo que já estou um tico melhor do que antes, já me sinto mais animada pra continuar seguindo em frente, nem que seja ‘devagar e sempre’, meu lema preferido :)

    espero q esteja td bem por aí e q vc, igualmente, possa ter encontrado o seu caminho ensolarada e florido!

    um bj em vc e no rô e desejos de uma semana alegre e florida,
    m.

  • querida ana steps,

    que delícia ler o seu comment <3! fiquei feliz e comovida ao saber que nossos caminhos são 'bem mais parecidos do que vc jamais imaginou'. fico muito feliz e agradecida por ter te conhecido e por podemos suportar uma à outra, mesmo que não estando assim tão próximas o tempo todo!

    te admiro muito e poder trocar figurinhas com alguém arretada de lynda como você é um grande privilégio!

    muito, muito, muito obrigada pelo lindo post-homenagem q vc fez (daqui a pouco vou lá), eu fiquei duplamente comovida :')

    que possamos continuar nos encontrando e trocando ideias e figurinhas hoje e sempre :)

    um bj sabor brigadeiro em vc,
    amor, m.

  • querida karen,

    amiga guerreira e inspiradora! nunca vou me esquecer de que foi você a principal responsável pela minha entrada no mundo dos blogs – rs. parece até mentira que trabalhei durantes 8 anos com internet e só fui ter meu primeiro blog tempos depois de ter largado essa vida :)

    e vc pode se orgulhar de ter criado um monstro, não é mesmo? ;) kkkkkkk. espero que, como sensei, vc goste e aprove o meu novo blog que finalmente dá mostras de ficar pronto! i am so excited!!! hehehehe

    brincadeiras à parte, vc sabe que, apesar de eu ser uma amiga meio desnaturada e sumir por muito tempo, sem deixar rastro, nunca me esqueço de vc, da tina e da akemi, amigas queridas que já tem lugar cativo no meu coração <3. (vc já deve estar cansada de ler essa ladainha toda vez, né?). mas assim é meu sentimento por vocês :).

    espero que esteja td bem por aí! aproveito para desejar um 2013 lyndo e cheio de realizações e sonhos pra vc e o.

    amor,
    m. - sua fã!

  • querida adriana,

    fqiuei confusa… vc é a ‘dridrinha’, que foi me ver no lançamento do livrinho?

    de todo modo, agradeço as palavras de apoio e incentivo :) e obrigada por estar por aqui, acompanhando as minhas peripécias!

    bjs, m.

  • querida ivone,

    que bom ‘ouvir’ você! e fico duplamente feliz em saber que vc gostou de ouvir a minha história também. mais do que um desabafo, espero que ela possa inspirar e tocar outras pessoas. ou apenas oferecer conforto e sensação de que ‘não estamos sós em nossas lutas e problemas’.

    muito bom ter vc por aqui!
    amor, m.

  • mauricio!

    obrigada pelas palavras gentis e de apoio e incentivo!

    como eu disse pra vcs neste final de semana, agradeço a papai-do-céu por eu poder ter conhecido a laurinha e vc!

    sigamos para 2013 com nossos objetivos de ‘pintar o mundo’ (o meu e o seu!) hehehe

    bjs, m.

  • luvita, você podia me decepcionar um pouco, rs…
    tá dificíl ser seu irmão, porque você é muito da bornay e eu não tô nada xêmeo.
    parabéns luv pela coragem e determinação. você me inspira, me alegra e me orgulha.
    quando eu for carneiro-grande eu quero ser kinem você.
    seu limão,
    eu.

  • Miki, adorei tudo! A forma gostosa de escrever sobre seu processo, a coragem de se expor, a humildade de se colocar como aprendiz da vida e, principalmente, a determinação de ir adiante e produzir, produzir, produzir. Te desejo sucesso e alegrias! Bjs com amor. Dindi

  • flavito, meu irmão-xêmeo predileto que papai-do-céu pôs no meu caminho: vc tá sym super xêmeo, é só pensar no carinho que vem dedicando (ainda mais) aos seus pais.

    além disso, vc procura olhar pra si e melhorar, quer prova maior de que vc está se esforçando?

    vc igualmente me inspira, me alegra e orgulha – até nisso somos xêmeos :’)

    teluv de pai et de sombrinha de joaninha

  • querida dindi, ter você por perto me ajudou muito nessa jornada. e saber que podemos contar uma com a outra é um maravilhoso presente de vida!

    vc me inspira e eu me orgulho muito de ter uma amiga como vc.

    amor, m.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *